Mistérios da Família Zipperer

Há ainda algumas dúvidas na história da Família Zipperer, que não são resolvidas com o livro de Josef Zipperer nem com as anotações de Jorge Zipperer (e muitos menos, com o livro do José Kormann). A primeira dessas dúvidas é até mais simples, e se refere à diferença da idade que os Zipperer declaram na lista de passageiros e a idade que tinha realmente. Anton Zipperer diz ter 47 anos em 1873, quando na verdade já tinha 60. Também a sua esposa Elisabeth Mischeck declara idade menor (40, quando tinha 51). A idade para os filhos, no entanto, permanece correta. Uma das hipóteses levantadas é a de que ao parecer mais novos poderiam conseguir mais benefícios e facilidades para imigrar. Mas não é algo que possamos ter certeza. Também Georg Zipperer, apontado como irmão de Anton Zipperer, aparece com idade diversa da verdadeira.
.
Outro mistério é com relação a mãe de Anton Zipperer. Os livros apontam que Anton era irmão de Georg, e que eram filhos de Adam Zipperer, o qual faleceu em 1820. A esposa de Adam não teria se casado de novo. No entanto, não se sabe o nome dela. O “Bayern in Brasilien”, do Josef Blau, descreve passagens muito interessantes a respeito de Anton Zipperer e sua relação com a mãe, mas sem nomeá-la.
.
No entanto, nos livros da Igreja Católica de São Bento encontrei um registro pra lá de interessante. Georg Zipperer, irmão de meu tetravô Anton Zipperer, se casou com Anna Trojan, minha tetravó por outro ramo. Era o quarto casamento de Georg Zipperer (foi casado com uma Anna Bäumer, ainda na Boêmia; com uma Cecília, com quem imigrou e a qual logo faleceu; e com Magdalena Zipperer, certamente parente, viúva de Wenzel Pscheidt). Anna Trojan, por sua vez, era viúva de meu tetravô Wenzel Hannusch, com quem imigrou em 1877. E nesse registro, os pais de George/Jorge Zipperer aparecem como Jorge Zipperer e Anna Augustin. Como várias fontes mostram que George e Anton eram irmãos, então supõe-se que eram esses também os pais de Anton Zipperer. Mas aí pairam algumas questões.
.
Anton Zipperer era filho de Adam Zipperer, não de George Zipperer, como afirma esse registro mencionado. Pode-se supor, no entanto, que o padre equivocou-se, e no lugar do nome do pai colocou o mesmo nome do noivo, também Georg Zipperer. Nesse caso, suporíamos também que o nome de Anna Augustin estaria certo e que essa era de fato a mãe dos imigrantes Zipperer. Mas aí chegamos na questão da idade declarada. Georg Zipperer aparece como tendo 76 anos em 1897, o que daria 1821 como ano de seu nascimento. Só que pelo livro do Blau sabemos que Adam Zipperer faleceu em 1820! De modo que se de fato Anton e Georg são irmãos filhos de Adam, uma das datas necessariamente está equivocada. Isso supõe, novamente, o erro do padre ao dizer que George é filho de outro George.
.
No capítulo de Blau referente ao casamento de Josef Zipperer, lemos que esse foi procurar seu “primo” (VETTER) George Zipperer para ajudá-lo. Josef casou-se com Anna Maria Pscheidt, a qual tinha por madrasta Magdalena Zipperer, recém-viúva. Queriam os dois desposarem ao mesmo tempo. Mas logo em seguida, lemos que que Georg Zipperer era chamado de “Zipperer Grande”, para diferenciá-lo de seu irmão, o pai de Josef, que era o “Zipperer Pequeno”. De modo que novamente, tudo leva a crer que realmente Anton e Georg eram irmãos, apesar de Josef Zipperer ter chamado seu tio de primo, e apesar do registro de casamento citado acima apontar nome diferente.
.
O que talvez esclarecesse tanta confusão seria uma consulta ao registro de casamento de Georg Zipperer com Magdalena Zipperer, em abril de 1877. Esse assento, se de fato ainda existe, como o cremos, encontra-se em Joinville. Os primeiros casamentos de São Bento do Sul foram registrados nos livros daquela cidade. Lá está, por exemplo, o registro de meu trisavô Benedikt Beyerl, apontado como o primeiro casamento boêmio de São Bento (curiosamente, o padre também se equivoca nesse registro, colocando o nome do noivo quando era pra ser o nome dos pais). Caso esse registro do terceiro casamento de Georg Zipperer aponte novamente que ele era filho de um Georg Zipperer, iremos crer cegamente nisso. Afinal, dois erros iguais nessa situação seriam praticamente impossíveis. Se, por outro lado, aparecer como filho de Adam Zipperer, e ainda da mesma Anna Augustin citada no registro de seu quarto casamento, o mistério terminará.
Published in: on 19/01/2008 at 6:43 PM  Comments (3)  

The URI to TrackBack this entry is: https://coisavelha.wordpress.com/2008/01/19/misterios-da-familia-zipperer/trackback/

RSS feed for comments on this post.

3 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Sobre o nascimento de Zipperer ter sido em 1820 ou 1821, tendo o pai Adam falecido em 1820.
    1) A questão da gravidez. Uma gravidez dura 9 meses. A esposa bem poderia estar grávida quando o marido faleceu.
    2) A diferença entre 1820 e 1821não sustenta o argumento, pois depende do mês do nascimento e do falecimento. Por exemplo, tenho 61 anos. Se falecesse hoje (30/1/2008), um descendente que não soubesse minha data de nascimento poderia inferir que eu nasci em 1945. No entanto, nasci em julho de 1946….

  2. grato pelo comentário! Qual o seu nome? abraços

  3. Muito interessante seus textos, sou Descendente dos Jakusch, dos Zipperer, dos Melos, dos Colettas, meu bisa-vô se chamava Paulo Iackusch


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: